Blog

04
Jun'18

Produtos apícolas e suas origens

0 comentário(s) Notícias
Produtos apícolas e suas origens

Recentemente foi discutido um projeto de Lei (PLC 36/2017) que tem como objetivo alterar a classificação do mel para produto de origem mista. Isso significa que o mel deixaria de ser considerado de origem animal e passaria a ser classificado como de origem vegetal.  Esse projeto de lei segue no Plenário do Senado e apesar das possibilidades de ser aprovado tal como está serem mínimas, abriu uma discussão em relação a classificação desse produto e de outros compostos de abelhas como, por exemplo, a própolis.

Atualmente podemos classificar o mel como sendo Mel Floral ou Mel de Melato. O Mel Floral é obtido dos néctares das flores e ainda pode ser classificado como sendo mel unifloral ou monofloral (quando o produto procede principalmente da origem de flores de uma mesma família, gênero ou espécie) ou mel multifloral ou polifloral (obtido a partir de diferentes origens florais). Já o Mel de Melato é formado principalmente a partir de secreções de partes vivas das plantas ou de excreções de insetos sugadores de plantas que se encontram sobre elas. Para transformar o néctar em mel, há uma participação ativa da abelha.

Ela possui glândulas localizadas na cabeça que secretam duas enzimas que reagem com o açúcar do néctar. Uma enzima transforma o néctar em glicose e frutose, já a outra é responsável pela acidez do mel, impedindo a fermentação. Batendo as asas, a abelha seca o excesso de água presente nesse néctar.

Logo em relação ao mel, sem a colaboração das abelhas realmente não teríamos o excelente alimento que conhecemos. Se na produção do mel as abelhas desempenham um papel extremamente importante para obtenção do produto tal como o conhecemos, não podemos afirmar em relação a obtenção da própolis.

A própolis é uma resina natural produzida pelas abelhas a partir de substâncias coletadas em diferentes partes das plantas, como brotos, casca, botões florais e exsudatos resinosos. Elas transportam estas substâncias até a colmeia e as modificam por meio de adição de cera e saliva. A composição do produto obtido é extremamente complexa, sendo formada por centenas de substâncias, logo a origem botânica parece ser o fator mais importante a ser considerado na tentativa de explicar a variabilidade química entre diferentes amostras de própolis.

Apesar da própolis ser considerada de origem animal sua composição é proveniente dos vegetais presentes na região onde as colmeias foram instaladas, logo afirmar que a própolis tem origem vegetal não é algo que possa ser considerado incorreto, quando levamos em conta que na sua elaboração ocorre adição apenas de cera e saliva por parte das abelhas e que todas as suas conhecidas propriedades (antioxidante, anti-inflamatória, antimicrobiana, cicatrizante) são provenientes dos inúmeros compostos coletados dos vegetais. Outro produto que apesar de ser considerado de origem animal é retirado diretamente dos vegetais é o pólen.

O Polén é o gameta masculino das flores e é coletado pelas abelhas para servir de fonte de proteína. Ao coletar os grãos esses insetos usam a saliva para aglutinar as partículas e transportá-las para o interior das colmeias.

Referências:

Mendes,C.G. et al. As análises de Mel: revisão. Caatinga (Mossoró,Brasil), v.22, n.2, p.07-14, abril/junho de 2009.

Como é feito o mel? <https://mundoestranho.abril.com.br/mundo-animal/como-e-feito-o-mel/#

Pólen, ganhe mais energia <https://saude.abril.com.br/bem-estar/polen-ganhe-mais-energia-com-os-graos

NEWSLETTER
Assine nossa newsletter e receba dicas e novidades!