Digite sua pesquise e tecle 'enter'

Apis Brasil
Portal de Notícias

BENEFÍCIOS DA PRÓPOLIS

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit, sed do eiusmod

Algumas árvores encontradas na natureza produzem um tipo de resina com propriedades antibacterianas e antifúngicas que protegem o vegetal do ataque de insetos e fungos. Ao coletarem essa resina, as abelhas a levam para a colmeia. Lá ela será misturada à cera e também a outras secreções das abelhas, formando a própolis, uma substância rica em aminoácidos, vitaminas e bioflavonoides. Essa substância é um poderoso antioxidante.

Na colmeia, a própolis é utilizada no preenchimento de espaços, como falhas e rachaduras, que podem servir de entrada ao frio e também a predadores; para embalsamar insetos ou outras abelhas intrusas que porventura entrem na colmeia; e também para recobrir as células que guardarão os ovos colocados pela rainha. A própolis tem uma função muito importante na colmeia, pois ela elimina micro-organismos e outros agentes infecciosos da colmeia, mantendo os favos e toda a colmeia sempre limpa. Por ano, uma colmeia pode produzir entre 100gr e 300gr de própolis.

As propriedades biológicas da própolis estão diretamente ligadas à sua composição química, que pode variar conforme o ambiente no qual a colmeia está inserida, como temperatura, clima, tipo de vegetação circundante, época e técnica utilizada na colheita, assim como a espécie da abelha, mas em sua totalidade ela é composta basicamente por material resinoso e balsâmico coletado pelas abelhas dos ramos, flores, brotos e pólen, além de cera e secreções salivares das abelhas.

Não é de hoje que a humanidade conhece e utiliza a própolis. Registros históricos mostram que ela era utilizada pelos egípcios e gregos como antisséptico e também para embalsamar seus mortos, livrando-os dos decompositores. Os incas a utilizavam em situações de febre; e os legionários do Império Romano a utilizavam para curar suas feridas. Os gregos, dentre eles Hipócrates, adotaram a própolis como cicatrizante interno e externo; e Plínio, um historiador romano, refere-se a ela como um medicamento capaz de reduzir inchaços e aliviar dores.

Muitos estudos feitos com a própolis comprovam sua ação antibacteriana e por esse motivo ela é classificada como um poderoso antibiótico natural. Sua grande vantagem em relação aos antibióticos comuns é que a própolis, ao contrário dos antibióticos comuns, só destrói as bactérias prejudiciais à saúde, preservando as outras, como, por exemplo, as bactérias da flora intestinal. Outro fator muito importante é que as bactérias não criam resistência à própolis, como ocorre com os antibióticos sintéticos.

A própolis tem uma ação efetiva contra bactérias como a H. pylori, Salmonella, além de combater fungos como a Candida albicans e vírus como o do herpes e da gripe, sendo por isso muito utilizada nas épocas frias e também contra doenças respiratórias. A própolis, além de fortalecer o sistema imunológico, ainda combate os radicais livres, compostos agressivos que prejudicam o nosso organismo.

Por conter uma grande quantidade de flavonoides, a própolis é um excelente anti-inflamatório e por isso pode ser utilizada para tratar e prevenir infecções como bronquite, resfr??do comum, infecções ur?nár??s, infecções intestinais, inchaços e úlceras gástricas. Seu uso tópico garante a rápida cicatrização de feridas e queimaduras.

Fonte: Mundo Educação UOL

Notícia: 25/04/2017