Digite sua pesquise e tecle 'enter'

Apis Brasil
Portal de Notícias

O MEL E OS TIPOS DE FLORADAS

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit, sed do eiusmod

O Mel é um dos produtos fornecidos pelas abelhas mais conhecidos e disseminados pelo mundo, foi um dos primeiros alimentos do homem, que os utilizavam também como recurso medicinal. Esse produto natural é constituído de vários açúcares, sua cor varia de quase incolor a marrom escuro, pode ser fluido, viscoso ou até mesmo sólido e seu sabor e aroma irão variar de acordo com a origem da planta. É justamente a origem da planta, ou seja, a florada o tema que será abordado nesse texto, pois o aroma, composição química, coloração e propriedades fitoterápicas do mel, relacionam-se diretamente com a fonte de néctar que o originou, com a espécie de abelha que o produziu, com as zonas geográficas e condições climáticas

O mel é um alimento produzido, a partir do néctar (secreção açucarada) das flores ou das secreções procedentes de partes vivas das plantas ou de excreções de insetos sugadores de plantas que ficam sobre partes vivas de plantas, que as abelhas recolhem, transformam e combinam substâncias específicas próprias, armazenam e deixam maturar nos favos da colmeia. Ao conjunto de plantas que oferecem o néctar às abelhas, denominamos “flora apícola”.

 

 

A flora apícola (plantas utilizadas pelas abelhas) exerce uma importante influência sobre a qualidade desse alimento, pois o mel produzido por distintas floradas apresenta diferentes características organolépticas (cor, sabor, aroma), que estão sujeitas à preferência e aceitação do consumidor. Por isso o mel é classificado como monofloral ou unifloral, isto é, aqueles procedentes, principalmente, do néctar de uma só espécie vegetal (mel de laranjeira, mel de eucalipto, mel de assa peixe, etc) e como méis multiflorais ou poliflorais também chamados de silvestres, não sendo constantes as suas características.

Por exemplo:

Cor: varia desde o branco d’água (cipó-uva) até o preto (trigo sarraceno), passando por várias  gradações de âmbar, como o âmbar extraclaro (angico).

Sabor: basicamente doce (laranja), podendo ter alguns modificadores como o amargo (bracatinga)

Aroma: extremamente variáveis, uns são mais marcantes (laranja, cana) outros são mais suaves (angico, vassourinha)

Abaixo algumas propriedades dos principais méis monoflorais citadas na literatura:

Mel de flores de  Assa Peixe: O nome científico da planta usada pelas abelhas para elaboração do mel é  Vernonia  polinfanthes Less, porém é popularmente conhecida como Assa Peixe. As suas folhas são utilizadas na medicina popular em casos de gripe, resfriados, tosses, bronquite, contusões, hemorroidas e infecções do útero. A literatura cita que esse tipo de mel age como tônico e depurativo do sangue, além de atuar como calmante. Caracteriza-se por ter uma coloração amarela clara e alta viscosidade.

Mel de flores de eucalipto:  Dentre as plantas  fornecedoras  de alimento para as abelhas, o eucalipto é considerado um dos melhores e mais abundantes. O néctar das flores de eucalipto pode produzir mel de diferentes qualidades como, por exemplo, o de Eucalipto robusta é escuro, perfumado e agradável. Já o néctar de Eucalipto ficifolia é claro e saboroso e o de Eucalipto globulus é escuro e de baixa qualidade. Há relatos na literatura que essa florada de mel ajuda a combater a bronquite, a tosse e asma.

Mel de flores de laranja:  A cultura de laranja (Citrus sinensis L Osbeck) possui flores  altamente atrativa para as abelhas e suas folhas são utilizadas pela medicina popular para tratar o nervosismo e como calmante, febrífugo (combate a febre) e para problemas digestivos. A literatura cita que esse tipo de mel atua como regulador do intestino, tranquilizante natural. Caracteriza-se por ter uma coloração clara e sabor suave.

Mel de flores de Cipó-Uva: A espécie Serjania lethalis é uma planta nativa encontrada em todas as regiões do Brasil, sendo conhecida popularmente como croapé, cipó-uva e cipó-três-quina. É reconhecido por sua ação antioxidante, especialmente no fígado.

Abaixo algumas propriedades do mel polifloral citadas na literatura:

Mel silvestre: Dentre os méis comercializados os de flores silvestres se destacam por sua maior disponibilidade no mercado, pois este pasto apícola é oferecido às abelhas durante o ano todo. O mel silvestre é proveniente de diversas flores e é recomendado para o sistema nervoso, vias respiratórias e pele; é rico em minerais e também calmante, laxante, desintoxicante.

Referências:

ESCOBAR, A. L. S. XAVIER, F. BLANCHES, Propriedades fitoterápicas do mel de abelhas

B.CEPPA, Curitiba, v. 21, n. 1, jan./jun. 2003

Sonia S. KOMATSU2, Luís Carlos MARCHINI3,*, Augusta C. de C. C. MORETI4, Ciênc. Tecnol. Aliment., Campinas, 22(2): 143-146, maio-ago. 2002

REDVET. Revista electrónica de Veterinaria 1695-7504 ,2007 Volumen VIII Número 3

Badke MR,Budó MLD,Silva FM,Ressel LB, Esc Anna Nery (impr.)2011 jan-mar; 15 (1):132-139

Alves, T.T.L. Potencial do cipó-uva (Serjania lenthalis) como fonte de néctar para exploração apícola na Chapada do Araripe/Társio Thiago Lopes Alves-2013.

Disponível em:. <http://revistavivasaude.uol.com.br/guia/conheca-os-tipos-de-mel/2533/#> Acessado em.: 23/06/2017

Notícia: 26/06/2017